sábado, abril 03, 2010

O "gol contra" do Santos F.C. OU "A intolerância religiosa vs. amor ao próximo!"

O goleiro Felipe solidarizando-se

Maikon Leite e um abrigado


O Santos, time de Pelé, bicampeão mundial, visitou através de seu elenco de jogadores ultragoleadores, nesta quinta-feira o Lar Espírita Mensageiros da Luz,.




É uma instituiçãoi espírita quee cuida e abriga 38 pessoas com paralisia cerebral.




Os jogadores foram doar simbolicamente 600 ovos de páscoa, que serão comercializados na loja do clube e o dinheiro repassado para a instituição.




As informações são do site Globoesporte.com.




Uma parte dos jogadores preferiu ficar dentro do ônibus, inclusive o craque internacional Robinho.




Somente Felipe, Wladimir, Edu Dracena, Zé Eduardo, Arouca, Pará, Gil, Maikon Leite, Breitner, Zezinho e Wesley entraram na instituição.




Os demais alegaram impedimento de ordem "religiosa".




Os jornalistas que estavam no local, escutaram uma batucada dentro do veículo.




O treinador Dorival Jr. afirmou que sabia que certos atletas não entrariam e afirmou que era preciso respeitar a opção de cada um.




O goleiro Felipe declarou que "não tem como não se emocionar".




Questiona-se aqui, os motivos religiosos que impedem uma demonstração de caridade, um ato de amor ao próximo.




Ao que me consta, quem se diz cristão deve seguir os ensinamentos de Jesus Cristo, de quem celebramos a Paixão no dia de ontem.




Então "ter Jesus no coração" não se transfere para os nossos atos?




Os Fariseus ao tempo de Jesus, também preconceituosos e puristas em relação aos samaritanos, que eram considerados impuros e idólatras agiam assim. Foi nesse intuito que um fariseu perguntou maliciosamente a Jesus como fazer para ganhar a vida eterna. Jesus respondeu com as escrituras: Amar a Deus de todo o seu entendimento e força e ao próximo como a si mesmo. E o Fariseu então faz a antológica pergunta: -Quem é o meu próximo?




Sabe o que Jesus respondeu? Contou a Parábola do Bom Samaritano. A Parábola conta-nos que um determinado viajante foi atacado de tocaia em certo ponto deserto da estrada que vai de Jerusalém para Jericó. O viajante foi furtado e sofreu violentas agressões que o deixaram quase morto. Passaram pelo mesmo caminho um rabino e um levita, respectivamente um doutor da Lei e um explicador da Lei ao povo. Ambos apiedaram-se do moribundo, mas preocupados com seus compromissos "religiosos" não ajudaram a vítima, cometendo uma omissão de socorro.


Passou depois um samaritano, desses que eram idólatras, que não adoravam a Deus no Templo e que não seguiam seriamente os preceitos de Moisés, considerados, pois, como excomungados.


Mas esse excomungado samaritano teve compaixão. Sua atitude foi imediata. Tratou das feridas ali mesmo e levou o ferido em sua própria montaria a um albergue onde se cuidava de migrantes enfermos. Pagou antecipadamente e prometeu voltar para conferir a melhora e pagar algo mais que precisasse.


Contando isso , disse Jesus ao Fariseu: -Quem foi o próximo do ferido? -Foi o Samaritano.


- Vá e faça o mesmo!




A Deus , que "não faz acepção de pessoas", quem mais agradou? A Deus quem mais agradou no caso relatado. Os que foram, vencendo, como o samaritano, as diferenças religiosas, para ajudar o irmão necessitado naquele momento ?


Ou os que , como o rabino e o levita, alegaram , motivos de "foro íntimo", "razões religiosas" para ignorar o sofrimento alheio?




5 comentários:

Pedro disse...

Como seguidores de Cristo, deveríamos buscar viver como Ele viveu... Cristo nunca deixou de se aproximar daqueles mais necessitados, mesmo quando estes eram cobradores de impostos odiados por todos, leprosos ou pecadores...
É muito fácil dizer que queremos seguir a Jesus... o difícil é seguí-lo plenamente...

Juliana Tavares disse...

É incrível como as histórias se repetem... Hoje encontramos fariseus entre os cristãos (católicos, evangélicos, espíritas) entre os muçulmanos, entre os judeus, entre gente de toda a denominação religiosa... Gente que se acha superior, que se acha automaticamente salvo pela denominação que escolheu, gente que despreza as pessoas que pensam diferente deles. Se somos cristãos, por que não atuar como o bom samaritano? Quantos bons samaritanos existem entre os ateus? Entre as pessoas de má vida? Por que não imitá-los no melhor que eles tem: o amor ao próximo e a caridade? Afinal, o que mais importa?

Bhakta Fernando disse...

O episódio me deixa em estado de alerta para o fato de o Rabino e o Levita serem duas faces diferentes do meu próprio eu. Duas faces indesejáveis de mim mesmo. Vamos orar e vigiar.

Cintia Alves da Silva disse...

É lamentável que ídolos da juventude estejam dando tamanho exemplo de intolerância. Concordo com o comentário da Juliana. Mesmo entre os que se auto-intitulam "atletas de Cristo" veremos comportamentos contrários, farisaicos mesmo. Mas é preciso lembrar que neste mundo o bem se mescla ao mal e que, muitas vezes, este se sobrepõe ao primeiro. Vamos torcer para as manifestações do público sirvam para que esses jovens repensem sobre o comportamento que tiveram. O aprendizado chega pra todos, cedo ou tarde.

McKenna disse...

Alguns deles, inclusive Robinho, Neymar, Roberto Brum e Ganso já voltaram à Instituição e doaram brinquedos. Mas isto a mídia não faz questão de divulgar.
Mas de qualquer forma metade do timejá tinha ido, já estavam representando o clube.

Eles erraram, mas também não é cristão apontar o dedo e acusá-los de "fariseus"Cada um tem que respeitar o direito do outro.
Caridade se faz de coração e não para aparecer.
Que Deus abençoe a todos.