segunda-feira, julho 21, 2008

CARTA AOS MEUS PAIS


Primeira mensagem de meu irmão Carlos Vítor, psicografada por Chico Xavier em Uberaba neste dia, 21 de julho de 1973, no dia seguinte do Dia de Santos Dumont.

Meu papai do coração
Minha mãezinha querida
Retornei de vossos braços
Para a bênção de outra vida
Agradeço o vosso amor
No berço que o céu me fez
Convosco encontrei meu sonho
De ser criança outra vez.
Renasci de vossas preces
Na paz que hoje me alcança,
Bendita a meditação
Que me refez a esperança.
Tenho saudades e tudo
Que compõe o nosso lar,
Saudade de vosso afeto,
Saudade de vosso olhar.
Sinto ainda o vosso colo
Forrado de amor sem fim,
O calor de nossa casa,
Os irmãos junto de mim...
Recordo: Margaridinha
Relê trabalhos da escola,
A palavra do Flavinho
Faz-se ouvir e me consola.
Luizinho me traz flores,
Depois com muito carinho,
Escuto maravilhado,
As leituras do Celsinho!...
Mamãe perfuma o meu leito.
Depois, a envolver-me em luz,
Acaricia-me o rosto,
Falando-me de Jesus!...
Depois, Papai, rememoro
Antigas conversas nossas,
Vossas mãos tocando as minhas
E as minhas falando às vossas!...
De nossos entendimentos
Nenhum se passou em vão,
Tudo aquilo que dissestes
Carrego no coração!...
Outra fonte de ternura
De meu peito se extravasa:
Revejo Vovó Maria,
O anjo de nossa casa...
Agradeço-vos, contente,
O apoio, a vida, o carinho,
As luzes que reacendestes
Clareando-me o caminho!...
A sombra passou...Agora,
Esquecer para servir
É a senha de que disponho
Para buscar o porvir...
Que paz! Que felicidade!
Afeiçoar-me ao dever,
Abraçar a estrada nova
Em forma de alvorecer!
Seguir a frente rogando
Trabalho nobre e sereno,
Guardar-me grato a Jesus
Pelo dom de ser pequeno!...
Anseio meus pais queridos,
Astros de meu coração,
Construir as próprias asas
Da grande libertação!...
Jesus vos guarde e abençoe
Amados Paizinhos meus,
Sois para sempre comigo
Dois anjos do amor de Deus!...

(Uberaba, 21 de julho de 1973)


Esta poesia consta do livro A MORTE É SIMPLES MUDANÇA, que traz as mensagens-poema de meu irmão, psicografadas pelo inesquecível amigo Chico Xavier.


2 comentários:

Eternessências disse...

Esta mensagem ,Flávio, foi a grande motivadora de minha ida à Escola. Lembro-me bem da emoção que senti, ao lê-la em uma página cheia de rosas... Ainda era uma menina, mas fiquei encantada com a poesia delicada de Carlinhos, com toda a descrição que fazia de vocês em seu cotidiano!... Chegou-me às mãos através de D. Ermelinda,a quem devo a bênção de ter conhecido, um dia, a nossa amada instituição e, por ela ser amparada até hoje!...
Mas, na essência, estou certa de que foi o nosso querido Carlinhos o impulsionador desse grande encontro!
A ele, minha gratidão para sempre!
Um abraço carinhoso!
Rose.

Pedro disse...

Esta poesia nos inspira muita paz, tamanho o conforto espiritual que traz consigo... uma prova irrevogável da mediunidade de Chico Xavier, e um bálsamo de verdades consoladoras a respeito da Vida após a morte. Que Deus nos abençoôe!